• Sheila Drumond

Estudo revela a importância de Mindfulness no tratamento da Ansiedade Social

Atualizado: 28 de ago.



Que o Brasil é o país mais ansioso do mundo, você já deve saber. O que você talvez não saiba é que o tratamento para transtornos relacionados à ansiedade é composto por terapia e medicação. Às vezes, só terapia - mas, nunca só medicação! A medicação é de suma importância para alguns casos, mas há vários casos que só a terapia resolve muito bem. O que não existe nenhuma evidência é que só a medicação seja suficiente para tratar a ansiedade.


Isso porque a ansiedade envolve vários fatores cognitivos e comportamentais que precisam de intervenção, não são ajustados com a medicação. Ou seja, se você não mudar, nada muda, pode ser a medicação mais cara do mundo, ela alivia os sintomas, mas não é capaz de mudar as coisas que fizeram você adoecer.


A ansiedade social é uma modalidade dos transtornos de ansiedade. Como o próprio nome diz, a pessoa acometida por esse transtorno sofre demais com as interações cotidianas e mais ainda com situações desafiadoras, como falar em público, ou mesmo sair para uma festa.


Mindfulness no Tratamento da Ansiedade Social

Com tantos estudos comprovando sua eficácia no campo psicológico e emocional, mindfulness passou a se tornar popular não só pra turma "new age", mas também para psicólogos antenados, que estão sempre em busca do que há de mais recente quando o assunto é tecnologia de ponta para tratamento de desordens mentais.


Um estudo publicado pela APA (American Psychological Association) em 2010, avaliou como Mindfulness poderia ajudar no tratamento de acometidos pelo transtorno de ansiedade social (também conhecido como fobia social). Como o transtorno de ansiedade social é composto por viéses de atenção e emoção, bem como autoconceitos negativos, a ideia do estudo era justamente pesquisar os índices de comportamento cerebral da reatividade emocional e a regulação do autoconceito negativo em pacientes com TAS.


Se valeu de 16 participantes que foram submetidos a ressoância magnética funcional enquanto reagiam a autoconceitos negativos e buscavam regular suas emoções negativas usando dois tipos de práticas diferentes: atenção focada na respiração e atenção focada na distração. 14 participantes concluíram o exercício proposto para este estudo.


Em comparação com a linha de base, os participantes que participaram de um grupo de mindfulness (MBSR) mostraram melhora nos sintomas da ansiedade, da depressão e até na autoestima. Àqueles que buscaram se regular com a atenção plena na respiração ainda mostraram:


- Diminuição da experiência emocional negativa;


- Redução na atividade da Amígdala (significa menos ansiedade);


- Aumento da atividade nas regiões do cérebro implicadas na implantação da atenção (significa maior domínio cognitivo);


O estuco concluiu que mindfulness pode reduzir a reatividade emocional ao mesmo tempo que melhora a regulação das emoções. Todas as mudanças encontradas podem facilitar a redução de comportamentos de evitação relacionados ao TAS (lembrando que este é um objetivo terapêutico importante nas terapias contextuais), melhora nos sintomas clínicos e na reatividade emocional automática a autoconceitos negativos em adultos com TAS.


Você pode conferir o artigo na íntegra clicando aqui.










6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo